O PORTAL DE NOTÍCIAS DE ARAXÁ E REGIÃO

Enquete

    • Você concorda com o cancelamento do carnaval de rua para contenção de despesas da prefeitura?

      • Sim (86%)
      • Não (14%)

      Carregando ... Carregando ...
  • Tempo

    Opinião

    Economia

    ARAXÁ TEM GASOLINA COM PREÇO ACIMA DA MÉDIA DO ESTADO

    05/fevereiro/2018 17:11


    Salário mínimo tem menor reajuste em 24 anos

    03/janeiro/2018 15:15

    “Novo mínimo altera abono salarial, seguro desempego e aposentadoria”

     

    dinheiro

    JÁ ESTÁ EM VIGOR DESDE SEGUNDA-FEIRA DIA 1º janeiro, o novo salário mínimo no Brasil.

    O valor de R$ 954 reais é 1,81% superior aos R$ 937 vigentes em 2017.

    Esta é a menor correção aplicada ao salário mínimo desde 1995, R$11 a menos do que o previsto inicialmente no orçamento de 2018, aprovado no Congresso no valor de R$965.

    Mas o que muda com o aumento de R$17 do novo salário mínimo?

    Abono Salarial

    Quem recebe remuneração mensal de até dois salários mínimos têm direito a esse benefício, que pode chegar a um salário mínimo, dependendo do tempo de serviço do trabalhador do ano.

    Contribuições do INSS

    As contribuições ao INSS vão de 5% do sala´rio mínimo a 20% do salário de contribuição limitada ao teto do INSS. O reajuste dos benefícios acima de um salário mínimo, incluindo o reajuste do valor do teto deve sair em meados de janeiro, depois que o IBGE divulgar o INPC do ano passado.

    Salário dia e hora

    As mudanças nas regras trabalhistas permitem que agora um trabalhador seja contratado por hora ou por dia.

    Nesse caso, o valor do salário mínimo diário será de R$31,80. O valor da Hora trabalhada será de R$4,34.

    Seguro-desemprego

    A parcela a quem tem direito ao seguro-desemprego, passa de R$937 para R$ 954.

    Mas nas ruas os trabalhadores estão lamentando o novo salário em vigor, como mostra uma reportagem feita pela Equipe da Tv Sintonia. A repórter Nathália Fernandes, foi às ruas e o mostra como a indignação é geral com o governo. Mais detalhes dessa matéria, você confere na edição de hoje do Jornal Sintonia às 19h.

    03/01/18

     

     


    Como ser financeiramente bem sucedido?

    11/dezembro/2017 15:37

    “Com Metodologias certas é possível controlar as finanças e ampliar a renda consideravelmente”

     

    Conhecimento e oportunidade de ampliar o networking. O primeiro Workshop “ O Poder da Mente Milionária, reuniu dezenas de pessoas no Salão Azul do Hotel Pousada Dona Beja, neste final de semana.

     

    IMG_1410

    A repórter Janaína Silva foi conferir de perto esse assunto tão interessante para quem quer ficar bem de vida ou ter sucesso nos negócios.

    Agregar aos participantes conhecimentos que podem proporcionar gerar mudanças em resultados financeiros, como na vida pessoal. A metologia que condiz com bons resultados de quem adota a positividade como estilo de vida Afirmando “ EU QUERO, EU POSSO, EU DESEJO EU ALCANÇO”, segundo o palestrante Wagner Drummond.

    A Atitude mental com caráter prático é a fórmula mais prática e eficaz de atingir o ápice no segmento empresarial escolhido. Algumas frases aplicadas ao pé da letra como : EU FAÇO, QUERO ATINGIR A META DE UM MILHÃO DE REAIS, VOU ADQUIRIR UM IMÓVEL EM VINTE E QUATRO MESES, do pensar ao executar um desejo, na forma de auxiliar para a concretização do plano é a peça chave para os resultados milionários propostos. Existem livros redirecionados para o agir. Sem usar o tempo para as reclamações sobre o árduo trabalho do dia a dia para atingir as metas. Ter o apoio de um Coaching  é um verdadeiro auxílio para continuar a subir grandes degraus com sucesso

     


    Procon orienta consumidor sobre compras na Black Friday

    21/novembro/2017 13:28

    Denominada como sexta-feira negra, a expressão americana é uma mega promoção dos varejistas que ocorre geralmente na quarta sexta-feira de novembro.

    A unidade do Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) em Araxá orienta a população sobre as ofertas atraentes no Black Friday (sexta-feira negra), uma experiência americana. O significado do Black Friday é uma mega promoção dos varejistas, que geralmente ocorre na quarta sexta-feira  de novembro, após o feriado de Ação de Graças dos Estados Unidos. O evento tem duração de 24h e  tem como  finalidade   renovar  os estoques  para as vendas de final de ano, sendo para o consumidor  uma boa oportunidade para adiantar as compras de Natal.  Este ano o Black Friday Brasil ocorrerá no dia 24 de novembro.

    A secretária executiva do Procon Araxá, Belma Nolli relata que no Brasil, ao contrário dos EUA, o Black Friday apresenta ofertas e descontos em grandes lojas do e-commerce,   que abrangem desde eletrônicos a companhias aéreas e concessionárias de veículos.  “Os descontos podem chegar até a 80% do valor original, mas, infelizmente, muitos sites se aproveitam do evento para enganar os consumidores.  Além da “maquiagem” dos preços, as maiores queixas após as compras do Black Friday são: produtos não entregues, demora na entrega, produtos trocados ou danificados, baixa qualidade”, explica Belma.

    Ela lembra que toda informação repassada ao consumidor através de publicidade, torna-se obrigação e deve ser cumprida pelos lojistas e fabricantes.  “Além disso, os direitos do consumidor valem também na Black Friday e nas compras feitas pela internet, quando o fornecedor estiver estabelecido no Brasil. Como a compra é feita fora do estabelecimento comercial, o consumidor tem o direito de se arrepender da compra em até sete dias da data do recebimento da mercadoria”, reforça a secretária executiva do Procon Araxá.

    Confira as dicas do Procon para garantia de compras mais seguras:

    • Pesquise preços antes do Black Friday e em vários sites. Faça a pesquisa de preços, pelo menos, duas semanas antes da promoção em sites distintos para ter uma boa base de comparação, levando em consideração o que procuram de verdade e não se deixando levar por impulso.
    • Cadastre-se nos sites das lojas confiáveis que vão participar do Black Friday. Só compre em sites idôneos. Desconfie de preços muito abaixo do preço médio praticado no mercado.  Verifique se o site possui reclamações formalizadas contra ele nos órgãos de defesa do consumidor. No site deve constar o endereço físico da loja, telefone para contato, email, razão social e CNPJ. Verifique, ainda, se aparece um cadeado na barra de endereços que evita o vazamento de dados durante a transação. Entre no site da Receita Federal e confira a se a situação cadastral do e-commerce não aparece como baixada, cancelada ou inativa.
    • Não clique em email de promoções, mesmo que seja de lojas conhecidas. Prefira acessar as páginas dos fornecedores e buscar pelo produto que você se interessou.  Cuidado com as ofertas  e vales-presentes recebidos por SMS, WhatsApp e Instagram (perfis fakes).
    • Leia o site atentamente.  É comum que algumas lojas mudem as políticas de troca e devolução dos produtos em promoção. Por isto, verifique se no site contém informações sobre a política de troca e devolução de produtos, prazos de entrega, formas de pagamento. Se tiver alguma dúvida, entre em contato com a loja.  Fique atento às frases escritas no rodapé da página.
    • Guarde toda documentação relacionada com a compra, como emails trocados, número do pedido, recibos, notas fiscais, números de protocolos, dentre outros. Esses documentos serão de extrema importância para resolver qualquer problema que surja.
    • Exija a Nota Fiscal e o Termo de Garantia dos produtos eletrônicos e eletrodomésticos.
    • No momento da compra evite os horários de pico (meia-noite, meio-dia e após às 18h). Nesses horários, geralmente os sites estão congestionados e a finalização da compra pode não se efetivar.
    • Planeje-se. Elabore uma lista de desejos e não compre por impulso para não exceder seu orçamento e se endividar.
    • Denuncie as irregularidades e ofertas falsas.

     


    Receita abre consulta ao sexto lote de restituição do Imposto de Renda

    07/novembro/2017 13:49

    A Secretaria da Receita Federal informou que serão liberadas na quarta-feira (8), a partir das 9h, as consultas ao sexto lote de restituição do Imposto de Renda de Pessoas Físicas de 2017. Este lote também incluirá restituições residuais de 2008 a 2016.

    Ao todo, serão pagos mais de R$ 2,9 bilhões para 2.428.985 contribuintes. Os depósitos serão feitos em 16 de novembro.

    “Desse total, R$ 107,8 milhões referem-se ao quantitativo de contribuintes de que trata o Art. 69-A da Lei nº 9.784/99, sendo 26.209 contribuintes idosos e 3.354 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave”, acrescentou o Fisco.

    Consulta

    Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve fazer a consulta no site da Receita, aqui. A consulta também pode ser feita pelo telefone 146.

    A Receita também oferece aplicativos para tablets e smartphones, que permitem a consulta às declarações do Imposto de Renda.

    O prazo para envio da declaração de IR 2017 terminou às 23h59 de 28 de abril. A Receita informou ter recebido 28.524.560 de declarações.

    Malha fina

    No fim do ano passado, a Receita Federal informou que 771 mil declarações estavam retidas na malha fina do IR de 2016 devido a inconsistências nas informações prestadas.

    Nos últimos anos, a omissão de rendimentos foi o principal motivo para cair na malha fina, seguido por inconsistências na declaração de despesas médicas.

    Para saber se está na malha fina, os contribuintes podem acessar o “extrato” do Imposto de Renda no site da Receita Federal no chamado e-CAC (Centro Virtual de Atendimento).

    Para acessar o extrato do IR é necessário utilizar o código de acesso gerado na própria página da Receita Federal, ou certificado digital emitido por autoridade habilitada.

    Após verificar quais inconsistências foram encontradas pela Receita Federal na declaração do Imposto de Renda, o contribuinte pode enviar uma declaração retificadora.

    Quando a situação for resolvida, o contribuinte sai da malha fina e, caso tenha direito, a restituição será incluída nos lotes residuais do Imposto de Renda.


    Empresários estão confiantes com vendas de fim de ano e esperam crescimento de 39%

    02/novembro/2017 12:18

    Pesquisa realizada realizada pelo SPC Brasil ainda  revela que apenas 15% dos comerciantes vão reforçar equipe com contratações extras; Remuneração média será de R$ 1.400.

    Os indicadores econômicos mais recentes dão sinais de que o comércio brasileiro iniciou uma lenta e gradual recuperação nos últimos meses. Como reflexo dessa percepção mais positiva, uma pesquisa feita com empresários do varejo em todas as capitais pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que as vendas neste fim de ano serão melhores para 39% dos comerciantes brasileiros, percentual que representa uma alta de 16 pontos percentuais na comparação com o mesmo período do ano passado. A minoria dos entrevistados (22%) disse que as vendas serão piores que em 2016, índice que caiu dez pontos percentuais em relação a 2016. Para um terço (33%) as vendas se manterão estáveis.

    Neste fim de ano, a expectativa dos comerciantes para o volume de vendas apresenta uma leve variação positiva de 0,8% frente o faturamento do mesmo período que no ano passado. Na sondagem de 2016, os varejistas aguardavam uma queda de -1,8% no faturamento. Para o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, os números observados em 2017 são positivos e levam otimismo ao varejo, embora o nível elevado de desemprego force uma recuperação mais lenta que o desejável. “A recuperação do consumo e do comércio depende da criação de novas vagas de emprego e da renda do consumidor. Não se espera uma recuperação rápida da economia, mas o fato importante é que há indícios de que já esteja acontecendo e, um deles, é a melhora das expectativas para o Natal”, explica Pellizzaro Junior.

    35% dos que pretendem contratar recorrerão a mão de obra informal

    Além de sondar as percepções gerais do setor sobre as expectativas de vendas para o fim de ano, a pesquisa também investigou a intenção de contratar mão de obra para as festas de Natal e Réveillon. O levantamento demonstra que os recentes sinais de reação da economia ainda não se traduziram na criação de novos postos de trabalho no curto prazo. Apenas 15% dos comerciantes já contrataram ou irão contratar mão de obra extra para reforçar o quadro de trabalhadores nesse período – sejam eles temporários, informais, efetivos ou terceirizados. Em números absolutos, isso significa que pouco mais de 32,2 mil vagas devem ser criadas neste trimestre. Para 79% desses comerciantes, o principal motivo das contratações é suprir a demanda aquecida no período do Natal. Os que não devem contratar somam 81% da amostra.

    As principais razões para não contratar funcionários são a falta de necessidade (49%), uma vez que o comerciante está satisfeito com a capacidade de atendimento da sua equipe, a percepção de que o movimento no fim de ano não deve se alterar (18%) e a falta de verba para realizar contratações (10%). Entre os que não vão reforçar o quadro de funcionários, 50% não deve alterar a jornada de trabalho da equipe, mas 13% pagarão horas extras.

    Em média, entre aqueles que vão reforçar o quadro de pessoal, a média será de duas contratações nesse período. E a maior desses empresários (48%) irá recorrer a contratações formais – ou seja, com carteira assinada. Neste caso, o percentual cresceu oito pontos percentuais frente o ano passado. Os que vão terceirizar o trabalho extra representam 8%, ao passo que 35% vão contratar de maneira informal. A principal razão para contratar funcionários sem carteira assinada é que a formalização inviabiliza o emprego de mão de obra para uma situação específica (38%). Outros 27% querem cortar despesas com folhas de pagamento.

    44% solicitam experiência prévia nas contratações; remuneração média é de R$ 1.400 e 29% devem efetivar temporários

    A sondagem revela ainda que ter experiência pesa mais do que a formação técnica na área em que o trabalhador busca uma oportunidade. Quatro em cada dez (44%) comerciantes solicitam funcionários que tenham experiência anterior na área. Apenas 2% exigem que o candidato tenha feito algum curso profissionalizante. “Nessa época do ano, os varejistas têm pouco tempo para treinar a mão de obra temporária. Dessa forma, é natural que prefiram profissionais que já saibam atrair clientes para a loja, conheçam bem os produtos e saibam concluir uma boa venda”, garante Pellizzaro Junior.

    Ainda sobre o perfil do trabalhador a ser contratado, 55% dos empresários entrevistados procuram profissionais que tenham até 34 anos de idade e 44%
    esperam que o novo funcionário tenha pelo menos o ensino médio completo. Há também uma preferência por mulheres (52%) em detrimento de homens (17%). Para 27% o gênero pouco importa na hora da contratação.

    Quanto aos cargos em oferta, 51% serão preenchidos por vendedores, 15% por balconistas, 15% por ajudantes de estoque, serviços gerais e balconistas e 11% por caixas-registradoras.

    Em média, os varejistas devem pagar um salário mínimo e meio para os funcionários novos (R$ 1.405) e a jornada de trabalho deve ser de pelo menos oito horas, de acordo com 91% desses empresários. Mais da metade (54%) dos comerciantes consultados afirmou que faria as contratações até o último mês de outubro, mas 21% deixariam para preencher as vagas ainda neste mês de novembro e outros 17% em dezembro. Em média, as contratações do final do ano terão durabilidade média de três meses e meio. Além disso, 29% dos empresários que irão contratar temporários admitem que podem efetivar esses funcionários.

    As contratações temporárias são uma boa oportunidade para o jovem que está procurando o primeiro emprego ou para quem está desempregado e quer se reposicionar no mercado de trabalho. O profissional que tiver a oportunidade de ser contratado nessa época deve mostrar empenho e encarar a experiência não apenas como um trabalho temporário, mas como uma oportunidade para se estabelecer no mercado de trabalho, orienta Pellizzaro Junior.


    Distrito Industrial vai receber novas empresas e investimentos devem gerar até 200 empregos

    25/outubro/2017 13:56

    Mais desenvolvimento econômico, tecnológico e geração de empregos na cidade. A Câmara Municipal de Araxá aprovou nesta terça-feira, 24, o projeto de lei de autoria da Prefeitura de Araxá que realiza a doação de área para instalação de seis empresas no Distrito Industrial. Ao todo, serão investidos cerca de R$ 12 milhões em maquinário, equipamentos, construção civil e montagem das fábricas. A expectativa é que os empreendimentos gerem até 200 postos de trabalho, um faturamento de R$ 32 milhões por ano.

    As empresas foram vencedoras do processo de licitação do Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico (CMDE) e desenvolverão atividades como indústria química, transporte de gases e cargas, produção de equipamentos, entre outros.  A nova legislação contempla os atributos que as empresas oferecem ao município, tais como a construção da sede própria, geração e qualidade de empregos, valor do investimento, poder de atração de novos fornecedores para o município, entre outros.

    “Ao longo do período de dois anos, esperamos uma geração de até 200 empregos, um investimento na ordem de R$ 12 milhões para os próximos 24 meses, de forma que isso agregará muito ao nosso ambiente de negócios, especialmente na geração de empregos. Temos todo um contexto favorável que ajuda a atrair negócios para o município. As empresas que vencedoras do processo licitatório já possuem unidade no município e como crescimento dos seus negócios estão expandindo para o Distrito Industrial”, detalha o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovações Tecnológicos, Geraldo Lima Júnior.

    O processo licitatório de empresas para se instalarem no Distrito Industrial faz parte de projeto de lei que instituiu o Programa de Incentivo à Instalação e Expansão de Empresas (PROEMP) e, consequentemente, criou o CMDE e o Fundo Municipal de Desenvolvimento Econômico de Araxá (FUMDEARAXÁ).

    “As empresas, depois de apresentarem atributos, foram pontuadas e ao final do processo esse total de pontos foi convertido em descontos que é aplicado no valor da área previamente orçada pelo mercado imobiliário da cidade. O saldo devedor restante pode ser pago em até 120 parcelas, que é exatamente para ajudar a empresa a recompor seu caixa. Agora, com as doações aprovadas na Câmara de Vereadores, as empresas assinaram contrato com a Prefeitura e poderão tomar posse dos seus respectivos terrenos”, explica o secretário Geraldo Lima Júnior.

    Confira a lista dos novos empreendimentos que se instalarão no DI

     – ANALÍTICA QUÍMICA INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA: venda e revenda de soluções, reagentes, equipamentos e vidrarias para laboratório, produtos químicos para tratamento de água potável e de piscinas.

    – GRAN BOLSAS MÁQUINAS LTDA-ME: armazenagem de grãos secos.

    – OXIARA LOGÍSTICA LTDA: armazenagem e transporte de gases industriais, medicinais e especiais (White Martins).

    – REVITEC TECNOLOGIA EM REVESTIMENTO LTDA: revestimentos e usinagem para mineração.

    – SACKETT DO BRASIL EQUIPAMENTOS E SISTEMAS LTDA: fabricante de equipamentos e sistemas para a indústria de fertilizantes (Oscar Hordonez).

    – TRANSLIZA LTDA-ME: transporte de cargas, prestação de serviços de logística e armazenagem.


    Gastronomia de Araxá é destaque em programa do governo mineiro

    24/outubro/2017 13:39

    O “Mapa Gastronômico de Minas Gerais” tem como objetivo potencializar o turismo gastronômico, apontado como a principal imagem do Estado.

    O melhor é descobrir em meio às Termas, cachoeiras e serras, os sabores e aromas irresistíveis desta região. Do queijo que leva seu nome aos doces de compota que já são tradição, venha se encantar pelas atrações do Circuito Canastra. Referência turística na região, Araxá ganhou destaque no “Mapa Gastronômico de Minas Gerais”. O projeto é a primeira ação do programa do Governo do Estado +Gastronomia e tem como objetivo potencializar o turismo gastronômico do Estado. O mapa reúne 31 dos 47 circuitos turísticos, onde estão catalogados 154 festivais gastronômicos, 122 opções de visitas a produtores locais e 27 roteiros gastronômicos do Estado.

    A primeira tiragem da publicação, de 2.000 exemplares, será destinada as operadoras de viagens. A intenção é aumentar essa quantidade para que os turistas também tenham acesso ao conteúdo do mapa impresso. Por enquanto, o guia pode ser consultado virtualmente. “Minas Gerais tem grande potencial para o turismo gastronômico. Nossa gastronomia é apontada, desde 2014, como a principal imagem do estado. No entanto, ainda não era possível encontrar, de forma dinâmica e organizada, as principais informações sobre os circuitos gastronômicos do estado”, explicou o secretário de Turismo, Ricardo Faria, durante o evento de lançamento do Mapa.

    Resultado de um amplo levantamento da oferta turística em Minas Gerais, o Mapa Gastronômico foi elaborado em parceria com os circuitos turísticos mineiros, possibilitando o conhecimento da oferta gastronômica do estado e contribuindo, assim, para o planejamento, gestão e promoção da gastronomia mineira enquanto atrativo turístico. Por meio do trabalho realizado, foi possível catalogar mais de 150 festivais gastronômicos no estado, que acontecem anualmente. O guia também traz mais de 120 atividades e estabelecimentos abertos à visitação dos turistas, para quem deseja conhecer de perto a rotina dos produtores rurais.

     

    De acordo com a superintendente de Turismo, Régia Côrtes, Araxá é uma cidade genuinamente gastronômica. “Recebemos anualmente o Festival Internacional de Gastronomia que, agora está com novo nome – Saberes e Sabores. Nesse ano, tivemos a versão inverno e, em 2018, está programada a versão verão. Araxá tem como um dos seus focos principais, a gastronomia. Temos excelentes restaurantes, bares, hotéis especializados com a alimentação e a riqueza de produtos como, por exemplo, a batata que é vendida para o Brasil todo, o queijo de Araxá, sempre premiado a níveis estadual e nacional, a tradição dos nossos doces e das nossas quitandas. Está presente no Mapa Gastronômico de Minas Gerais é mais uma opção para receber turistas do Estado, do Brasil e até do mundo. Com certeza, é mais um atrativo da cidade”, ressalta.


    Distribuidoras farão campanha para incentivar que consumidor economize energia

    19/outubro/2017 14:21

    Diante do cenário de insuficiência de chuvas e baixa nos reservatórios das usinas hidrelétricas, as distribuidoras de energia elétrica de todo o país farão uma campanha publicitária para incentivar o consumo consciente de energia. A previsão é que as peças em rádio, televisão e internet sejam divulgadas ao longo de novembro.

    A campanha atende a uma recomendação do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) e tem por objetivo, além de conscientizar sobre a necessidade de evitar desperdício, passar informações sobre as bandeiras tarifárias, sistema que permite a cobrança mensal de um adicional pelo uso de energia de termelétricas.

    Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a campanha será coordenada pela Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee), que ficará responsável por produzir as peças que serão divulgadas em todo o país.

    A campanha não acarretará custos adicionais para o consumidor. Os recursos virão do Programa de Eficiência Energética (PEE), que existe para financiar esse tipo de iniciativa. O PEE funciona com uma taxa embutida nas contas de luz, correspondente a 0,5% da receita operacional líquida das companhias de energia.

    De acordo com o Operador Nacional do Sistema (ONS), a previsão é de que o armazenamento dos reservatórios das usinas hidrelétricas fique abaixo do verificado em 2014, ano mais crítico do histórico recente. O Nordeste apresenta o quadro mais preocupante, com os reservatórios operando com apenas 7,59% da capacidade. No Sudeste e Centro-Oeste, o nível das barragens é de 20,45% e no Norte, 25,38%.

    Bandeira vermelha

    A previsão de escassez de chuvas fez com que o governo anunciasse, no final de setembro, que a bandeira tarifária passaria para a cor vermelha patamar 2, em outubro. Esta é a tarifa mais cara prevista e implica a cobrança de taxa extra nas contas de luz de R$ 3,50 a cada 100 kWh consumidos. Em setembro, vigorou a bandeira amarela, que aplica uma taxa extra de R$ 2 para cada 100 kWh de energia consumidos.

    Para atenuar a situação, o CMSE decidiu, no início do mês, também retomar a operação de usinas termelétricas que estão paradas por falta de combustível. O comitê optou por não acionar as usinas termelétricas mais caras, o chamado “despacho fora da ordem de mérito”, mas aprovou, se necessário, o aumento da importação de energia elétrica da Argentina e do Uruguai.

    Ontem (16) a Age ncia Nacional de Energia Ele trica (Aneel) autorizou a Companhia Paranaense de Energia (Copel) a retomar temporariamente a operac a o comercial das tre s turbinas da usina termele trica Arauca ria, localizada no munici pio de mesmo nome.

    Além da termelétrica de Araucária, o CMSE também decidiu pela retomada da operação das usinas Cuiabá, Termonorte II e Termo Fortaleza que, por serem movidas a gás, são capazes de produzir energia a preços mais competitivos se comparados com os de outras usinas térmicas, segundo o comitê.

    Agência Brasil


    Araxá entre as quatro melhores cidades para se investir em MG e na 71ª colocação no país

    10/outubro/2017 13:43

    A cidade melhorou 28 posições no ranking nacional e quatro a nível estadual em relação a 2015, quando o município ocupava a 99ª e 8ª, respectivamente.

    Um estudo da consultoria Urban Systems, feito com exclusividade para a revista Exame, identificou as cidades com mais de 100 mil habitantes com melhores condições para realização de negócios.  O levantamento, publicado na última semana, coloca Araxá entre os quatro melhores municípios para se investir em Minas Gerais e na 71ª colocação no país entre as 100 cidades mais promissoras para investimentos.

    Para elaborar o ranking das melhores cidades do Brasil para se fazer negócio, foram analisados 28 indicadores. Cada indicador, considerado aspecto essencial para a evolução dos negócios em uma cidade, tem um peso conforme sua importância na atualidade, totalizando 27 pontos. As melhores cidades do Brasil para os negócios apresentam indicadores econômicos, sociais, capital humano e infraestrutura.

    A cidade com melhor pontuação no ranking foi São Paulo (SP) com 15,29 pontos, seguido por Vitória (ES) com 14,25 e Porto Alegre (RS) com 13.55. Em Minas Gerais, nove cidades apareceram no estudo. Belo Horizonte com 12,47 pontos (9ª), Uberlândia com 10,55 pontos (28ª), Juiz de Fora com 10.04 pontos (43ª), Araxá com 9,55 pontos (71ª), Uberaba com 9,54 pontos (73ª), Varginha com 9,40 (80ª), Pouso Alegre com 9,33 pontos (83ª), Lavras com 9,32 pontos (86ª) e Poços de Caldas com 9,24 pontos (92ª).

    Indicadores

    Dentre os indicadores considerados pelo estudo de 2017, estão os aspectos de Sociodemografia (crescimento populacional, população economicamente ativa, percentual de chefes de família da classe A); Econômico (depósitos, crescimento interno bruto, crescimento de empregos formais, renda, resultados consolidados de finanças públicas, dentre outros); Saúde (total de leitos por habitantes, despesas com saúde, beneficiários de convênios médicos);  Educação (percentual de trabalhadores com curso superior, matriculas no curso superior em relação à população economicamente ativa, percentual de docentes no ensino fundamental com curso superior);  Financeiro (gestão fiscal,  agências bancárias por número de habitantes); Transporte(crescimento da frota de automóveis, destinos do principal aeroporto, linhas rodoviárias) e Infraestrutura (conexões de banda larga, índices de perdas de distribuição de água, economias atingidas por paralisações).


    Publicidade

    Araxá, Thursday, 22 de February de 2018 - 23 h 35 min

     

     

    Fale na Redação: Na Sintonia

    você faz notícia! Envie sugestões

    de pauta para nós  jornal@diariosintonia.com.br

     

     

    Envie fotos e vídeos de fatos que acontecem perto de você para equipe Sintonia: (34) 9223- 3893.

    Copyright © 2015 Rede Sintonia

    R. Dom José Gaspar, 187, Araxá - MG, 38183-188, Brasil

    +55 34 3662-9999