Diário Sintonia
Pimentel nega pagamento do 13º aos servidores mineiros
Por Paloma Gabriela
28 de dezembro de 2018

A dívida de 2,45 bilhões deverá ser assumida pelo novo Governador Romeu Zema

 

Em nota, Pimentel  justificou que não existem condições para o pagamento do abono de Natal conforme estabelecido anteriormente. Ele explicou que a União não liberou recursos e não conseguiu a arrecadação necessária, portanto cerca de 600 mil servidores públicos de Minas Gerais vão terminar o ano sem receber o benefício.

“Foi aguardado até o último momento um crédito de R$ 200 milhões, por parte do governo federal, referente à ‘compensação financeira em função da perda de receita decorrente da desoneração de ICMS sobre exportações de bens e da concessão de créditos nas operações anteriores’, aprovada no Congresso Nacional (PLP 511/2018). O Governo Federal informou que este crédito só será repassado em 2019”

A atual gestão explicou ainda que o Estado deixou de arrecadar R$500 milhões, o que somados ao anterior seria suficiente para quitar o débito tanto de servidores ativos como inativos este ano, e complementou que:

Apesar de todos os esforços financeiros que foram envidados, o Governo de Minas Gerais lamenta não ter conseguido pagar nem anunciar o parcelamento do 13º .

A conta agora passou para o Governador Eleito, Romeu Zema. O que já era esperado pelo coordenador da equipe de transição Mateus Simões.

O governo Pimentel não nos deu nenhuma informação, mas não me parece que haja qualquer possibilidade de eles levantarem o dinheiro para o pagamento. E, aparentemente, eles entendem que não devem explicações aos servidores. De nossa parte, resta lamentar e aguardar o início do ano para começarmos a agir de forma a equacionar o problema financeiro do estado”.

Ele relatou que ainda não é possível divulgar como e quando o valor será creditado na conta dos servidores, que terá que ser avaliado primeiro após o início do Governo.