Diário Sintonia
Plano de ação contra aftosa está sendo executado pelo IMA
Por Janaina Silva
9 de outubro de 2019

 

Faltando menos de um mês para o início da segunda fase do ano, da campanha de imunização contra a febre aftosa, durante todo o mês de novembro, produtores rurais já precisam preparar para cumprir a obrigação. Desta vez todos os animais de 0 a 24 meses precisam receber a vacina, que desde o ano passado é aplicada em 2 mls e não em 5 mls como antes. No município de Araxá são 40.000 cabeças de bovinos e bubalinos à serem imunizadas. No plano estratégico para erradicação da doença 30% das 378 propriedades estão sendo acompanhadas pelos fiscais do IMA, Instituto Mineiro de Agropecuária.

 

“Hoje Minas Gerais é área livre da doença com vacinação, e o plano estratégico prevê que em 2021 as vacinas sejam retiradas e Minas Gerais passe a ser zona livre da doença, sem vacinação. Mas, para que isso acontecer, vai depender da colaboração dos produtores em dobrar a atenção com a vacina nos próximos dois anos, e o IMA vai acompanhar a vacinação em pelo menos 30% das vacinas de Araxá para que essa meta seja cumprida”, explica Lilian Bernardes da Silva, chefe do IMA em Araxá.

A intenção é que até 2021 as doses obrigatórias no estado sejam retiradas. E será o primeiro estado com esta conquista que terá reflexos diretamente na exportação de carne.

 

Minas Gerais possui cerca de 23 de milhões de bovinos e bubalinos. O estado ocupa atualmente o 5º lugar no ranking de exportação de carne bovina, que corresponde a 10% de todo o produto vendido para outros países. De janeiro a julho de 2019, a exportação de carne bovina em MG gerou receita de US$ 372 milhões, um crescimento de 21,1% em relação ao mesmo período do ano passado. A China é o principal importador da carne bovina mineira, com 63% do total das compras. E o Brasil é o maior exportador mundial de carne bovina, com receita de US$ 3,7 bilhão registrada no primeiro semestre deste ano, um crescimento de 11,7% em relação ao mesmo período de 2018, de acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.