Diário Sintonia
Policia Civil conclui II Fase da Operação Éden
Por Paloma Gabriela
9 de janeiro de 2019

Ex prefeita, esposo e mais três vereadores foram indiciados por associação criminosa além de outros crimes

 

As investigações tiveram início em 2017, final do mês de maio. A operação foi deflagrada para crimes supostamente praticados pela ex prefeita Cleide Maria Ferreira Rangel, o esposo Ronaldo Rangel, um servidor público e por pelo menos mais três vereadores.

No Inquérito Policial de mais de 1100 páginas, foi concluído pela Polícia Civil de Ibiá e Campos Altos, chefiada pelo Delegado Dr. Andre Luis de Campos, com o apoio da 2ª Delegacia regional de Araxá,  chefiada pelo Delegado Dr. Vitor Hugo Heisler,  que os suspeitos praticaram crimes de corrupção ativa e passiva, prevaricação, supressão de documentos e organização criminosa.

Há indícios de que a ex prefeita pagou cerca de cem mil reais e uma caminhonete no valor de R$60 mil a um vereador em troca de silêncio, além de vários depósitos bancários. Consta também que os parlamentares envolvidos  suprimiram e ocultaram várias provas dos desvios de dinheiro público durante o mandato da prefeita.

Durante as diligências de cumprimento de mandados de prisão temporária e de busca e apreensão expedidos pela Vara Criminal de Campos Altos, os investigadores encontraram e apreenderam em residencias dos suspeitos, diversos documentos que incriminavam a ex-prefeita.

Todos os vereadores envolvidos  foram indiciados pela prática do crime de prevaricação, pois deixaram de praticar atos de ofício ao não investigar e nem denunciar as ilegalidades praticadas pela ex-prefeita às autoridades competentes.

Todos os investigados foram indiciados por organização criminosa, já os vereadores, além deste, foram indiciados também por prevaricação (por não atuarem conforme o cargo, ao não investigar e nem denunciar ilegalidades) e supressão de documentos, e o vereador G.R.S indiciado por corrupção ao receber a caminhonete da ex-prefeita.

O Inquérito Policial foi enviado para o Ministério Público da Comarca de Campos Altos para análise do Promotor de Justiça o qual deverá oferecer denúncia junto ao MP caso considere relevante.

As penas para os crimes de organização criminosa variam de 03 a 08 anos de reclusão, para os  de corrupção ativa e passiva a pena é de 02 a 12 anos, já para o de prevaricação a pena é de 03 meses a 01 ano de prisão,  e para o crime de supressão de documento  é de 02 a 06 anos.

No inquérito a Polícia Civil representou também contra o cargo dos envolvidos, solicitando a suspensão imediata da função pública de três vereadores da Casa do Povo em Santa Rosa. O pedido será avaliado e deferida pelo MM. Juiz da Comarca de Campos Altos