Diário Sintonia
Produtores e comerciantes de cachaça são inspecionados
Por Janaina Silva
24 de julho de 2019

Bebida é patrimônio cultural de Minas Gerais

 

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), órgão vinculado à secretaria de estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, é credenciado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para fiscalizar e inspecionar estabelecimentos que produzem e comercializam cachaça em todo o estado. A portaria nº 1, de 26 de junho de 2018 do Mapa, confia ao IMA a fiscalização das boas práticas de produção e dos padrões mínimos legais exigidos, como as condições higiênico-sanitárias em todo o processo produtivo da bebida. Isso significa que a cachaça, patrimônio cultural do estado, tem todo o suporte do Governo de Minas para que os produtores e comerciantes regulamentem a bebida e possam oferecer um produto seguro e de qualidade para os seus consumidores e apreciadores.

 

De janeiro a julho deste ano, os fiscais agropecuários da gerência de inspeção de produtos de origem vegetal do IMA vistoriaram 358 estabelecimentos produtores e comerciais de cachaça em todo o estado. A força-tarefa dos profissionais resultou em 83 autos de infração, quando foram monitoradas 341 marcas de cachaça, o equivalente a 1,4 milhão litros. Também foi monitorada a qualidade de 29 marcas aguardente, ou 1,7 milhão de litros.

 

Certificação

Após todo o processo para obter um produto regulamentado, os produtores de cachaça podem contar com o serviço dos auditores da gerência de certificação do IMA, que é o organismo oficial do programa Certifica Minas, criado pela lei estadual 22.926/2018, e coordenado pela Seapa. O IMA é o único órgão público de defesa agropecuária do país a certificar produtos. Após a aprovação, os produtores podem utilizar o selo de conformidade do programa nas cachaças certificadas. Além da certificação no programa Certifica Minas, outras opções são os selos de cachaça sem agrotóxicos, cachaça orgânica e IMA/Inmetro.