Diário Sintonia
Setor de investigação de pessoas desaparecidas em MG é referência no país
Por diariosintonia
14 de janeiro de 2020

Divulgação/PCMG

 

A Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida (DRPD) da Polícia Civil de Minas Gerais é referência no país, é o que afirma a chefe da DRPD, delegada Maria Alice Faria. A DRPD trabalha na localização de pessoas desaparecidas e também na prevenção destes casos. Só nos primeiros sete meses de 2019, 5.001 casos foram registrados; isso significa média de um desaparecimento por hora em todo o estado, de acordo com dados da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública. Para ajudar as famílias a encontrarem entes queridos, a PC disponibiliza um site.

 

Em 2019 alguns casos foram amplamente repercutidos, entre eles a localização de pessoas em outros estados; descoberta de paradeiros de pessoas em situação vulnerável, como idosos, adolescentes e enfermos; e, reencontro de familiares que não se viam há 30 anos. No entanto, de acordo com Faria, nem todos as investigações possuem finais felizes. “Alguns acabam por solucionar crimes graves, dando resposta à Justiça Criminal”, conta. Exemplo disso é um crime de feminicídio, onde foi constatado que um homem matou a ex-companheira até então considerada desaparecida. Como o objetivo do departamento é encontrar a pessoa com vida, também é preocupação da unidade debater sobre desaparecimento de indivíduos com a comunidade, visando prevenir e orientar quem enfrenta esse tipo de situação.

 

Com informações da Agência Minas