Diário Sintonia
Trabalhadores dos Correios decretam greve nacional
Por Janaina Silva
12 de setembro de 2019

Empresa diz que serviços foram parcialmente afetados

 

Os trabalhadores dos Correios decretaram greve geral, por tempo indeterminado, a partir da noite da última terça-feira (10). Embora ainda esteja avaliando o real impacto da paralisação, a empresa afirma que os serviços foram parcialmente afetados. Já a Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect) garante que o movimento é nacional. “Em todo o país, a categoria se mostrou consciente da gravidade da situação e decretou greve por tempo indeterminado”, assegura a federação, em nota. Segundo a entidade, a paralisação foi a forma que os funcionários da estatal encontraram para se opor à proposta do governo federal de privatizar os Correios. Os trabalhadores também tentam pressionar a direção da empresa a negociar a manutenção de direitos trabalhistas e dos atuais salários no futuro Acordo Coletivo de Trabalho, que está por ser assinado.

 

Em Araxá os funcionários não aderiram à paralisação. No Centro de Distribuição Domiciliar, no bairro Solaris, a população está sendo atendida normalmente, e na principal agência, na rua Mariano de Ávila, também não teve alteração no expediente.

No mês passado, o governo federal incluiu os Correios no Plano Nacional de Desestatização e inaugurou a fase de estudos para privatizar, total ou parcialmente, a empresa e outras estatais. Além do receio da privatização, os representantes da categoria temem a redução salarial e a perda de benefícios. Também em nota, a direção dos Correios afirma já ter apresentado aos trabalhadores os números que revelam a “real situação econômica da estatal”. De acordo com a direção da empresa, os prejuízos operacionais acumulados chegam a R$ 3 bilhões.

 

A direção dos Correios afirmou, em nota, que a greve aprovada pelos trabalhadores da empresa ainda não afetou os serviços postais, financeiros e de conveniência prestados nos mais de 12 mil pontos de atendimento espalhados pelo país. Em nota divulgada na tarde de ontem (11/09), a diretoria da empresa classifica a iniciativa dos empregados da estatal de “paralisação parcial”. Segundo a diretoria, 82% do efetivo total das agências estão trabalhando normalmente nesta quarta-feira. Em Brasília, o percentual é de 88,47%, de acordo com a empresa.